Porto Alegre, 18 de Setembro de 2018

Romance 7

Já que o tempo era chegado

Em que fazer-se devia

O resgate da esposa

Que em duro jugo servia,

Debaixo daquela lei

Que Moisés dado lhe havia,

O Pai com amor terno

Desta maneira dizia:

- Já vês, Filho, que tua esposa

À tua imagem feito havia,

E no que a ti parece

Contigo coincidia;

Mas é diferente na carne,

Que em teu simples ser não havia.

Pois nos amores perfeitos

Esta lei se requeria,

Que se torne semelhante

O amante a quem queria,

Porque a maior semelhança

Mais deleite caberia;

O qual, por certo, em tua esposa

Grandemente cresceria

Se te visse semelhante

Na carne que possuía.

- Minha vontade é a tua

- O Filho lhe respondia –

E a glória que eu tenho

É tua vontade ser a minha;

E a mim me agrada, Pai,

O que tua Alteza dizia,

Porque por esta maneira

Tua bondade se veria;

Ver-se-á teu gran poder;

Justiça e sabedoria;

Irei a dizê-lo ao mundo

E notícia lhe daria

De tua beleza e doçura,

De tua soberania.

Irei buscar minha esposa

E sobre mim tomaria

Suas fadigas e dores

Em que tanto padecia;

E para que tenha vida,

Eu por ela morreria,

E tirando-a das profundas,

A ti a devolveria.