Porto Alegre, 12 de Julho de 2020

O Estilo

O estilo dos GOTs brota do carisma do Carmelo e trata de apoiar-se naquele modo de vida que Santa Teresa e São João da Cruz nos legaram.

Alguns elementos deste estilo:

O clima de amizade, fraternidade e alegria

Santa Teresa nos ajuda a dar-nos conta do valor da amizade nesta empreitada. "Não sei como incutir-lhes a importância dos amigos" (Vida, 7,20). Ela soube criar em suas pequenas comunidades um clima de família que nos estimula em nosso propósito. Sendo para ela a virtude evangélica da fraternidade um pressuposto básico para iniciar este caminho, também os membros destes grupos buscam fomentar e manter como algo primordial o ambiente amistoso nos grupos e encontros.
Pretende-se que a alegria e o bom humor sejam atitudes santamente cultivadas e acolhe-se esta alegria como um dom precioso do Espírito: "Aqui todas hão de ser amigas, todas hão de se amar, todas hão de se querer, todas hão de se ajudar" (Caminho de Perfeição, 4,7).
A vivência da oração dentro do grupo em chave de amizade leva os seus membros a cuidar de modo especial a experiência humana de inter-relação como base para a amizade com o Senhor e também como fruto do encontro com Deus.

A acolhida

Dedica-se no Grupo de Oração Teresiana uma especial atenção à acolhida das pessoas, colocando especial empenho em acolher aos que se aproximam pela primeira vez e aos que ocasionalmente os visitam. O animador do grupo é peça fundamental nesta tarefa.

A abertura

Nos GOTs é muito importante ter sempre as portas abertas não só aos membros do grupo, mas também a todos os que se aproximam buscando um espaço de oração e um lugar de repouso, mesmo quando nem todas as pessoas que a eles recorrem se comprometam a uma maior constância dentro do mesmo. Esta abertura mostra uma mentalidade aberta para acolher o projeto de Deus em nossa vida.

A simplicidade

Algo tão próprio do estilo teresiano como a simplicidade não pode faltar no GOT. Simplicidade no ser e no agir; simplicidade nas formas; simplicidade no trato humano e no trato com Deus. Simplicidade que não significa austeridade rigorista, mas beleza criativa que leva à liberdade e à verdade; simplicidade que nos remete à pobreza evangélica: "Bem-aventurados os pobres de espírito porque deles é o Reino dos céus" (Mt.5,3).